Câncer de Pulmão

Ainda hoje o câncer de pulmão é o câncer que mais leva a morte no Brasil, a maioria dos casos estão relacionados ao uso do cigarro (tabagismo). Porém, na última década tivemos grande avanço científico e atualmente somos capazes de realizar sua detecção precoce e tratamento em tempo para cura quando diagnosticado em suas fases iniciais.

São principalmente as pessoas que fumam. É de extrema importância para quem fuma buscar avaliação médica especializada, primeiro para o auxílio em parar de fumar e segundo para exames de avaliação para a detecção precoce de lesões/alterações suspeitas para câncer de pulmão.

Quando o câncer de pulmão está nas fases iniciais infelizmente quase sempre é assintomático, ou seja, não há sintomas. Com a progressão da lesão pulmonar aparecem falta de ar, emagrecimento, tosse com sangue, dor torácica, entre outros.

É a tomografia computadorizada de tórax. Nos permite a caracterização completa da lesão suspeita (tipo, tamanho, localização, forma, etc) e a determinação de qual o melhor procedimento para a biópsia da lesão.

Existem várias alterações nos exames de imagem que podem ser suspeitas para câncer de pulmão como nódulos pulmonares, massas pulmonares, derrame pleural, entre outros.

Buscar avaliação médica especializada o mais breve possível. O primeiro passo é avaliar o tipo de lesão encontrada e como vamos proceder para o seu diagnóstico, o qual envolverá algum procedimento para biópsia da lesão. Se confirmado tratar-se de câncer de pulmão então realizaremos outros exames para o estadiamento (determinação da extensão e/ou disseminação do câncer). Verificaremos se ele está localizado apenas no pulmão ou se já se espalhou para outras aéreas do corpo (metástases).

Para os casos em que o câncer está localizado (fase inicial) a cirurgia é o tratamento de escolha primeiramente. Consiste na ressecção da parte do pulmão (lobo pulmonar) acometida pelo tumor, essa cirurgia chama-se lobectomia pulmonar.

A lobectomia pulmonar atualmente pode ser realizada com técnica minimamente invasiva por videocirurgia – CTVA – cirurgia torácica videoassistida (VATS – video-assisted thoracoscopy surgery). Esta técnica promove menor dor pós-operatória, menos tempo de internação hospitalar e menor tempo para retorno as atividades habituais e ao trabalho.

Geralmente para casos em que o câncer de pulmão já acometeu os gânglios do mediastino (parte central do tórax) ou nos casos em que já se espalhou para outras partes do corpo, o tratamento envolverá a realização de um ou mais dos seguintes: quimioterapia, terapia alvo-molecular, imunoterapia, radiocirurgia e radioterapia.

Hoje em virtude da complexidade dos novos tratamentos disponíveis para o câncer de pulmão realizamos o trabalho de forma multidisciplinar, ou seja, diversos profissionais trabalham em conjunto avaliando e definindo o melhor tratamento para o paciente. A equipe consiste em cirurgião torácico, oncologista, radiologista, patologista, pneumologista e radioterapeuta, além da participação de fisioterapeutas, nutricionistas e psicólogos.